Loucos por Acampamentos, road trips e mochilões

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Camping Selvagem - Serra da Canastra - São João Batista do Glória - MG


A Serra da Canastra é o lugar onde os horizontes são limpos, a brisa cheira a capim gordura e os caminhantes matam a sede bebendo das águas transparentes das nascentes...
Rubem Alves


Seja muito bem-vindo
Meados de Dezembro de 2017 fomos acampar, em um grupo de quatro pessoas, na Serra da Canastra em Minas Gerais. Nosso ponto de partida foi a cidadezinha de São João Batista do Glória.  

Alguns fins de semana antes fomos conhecer Capitólio, porém as cachoeiras de lá estavam lotadas. As cachoeiras de Capitólio se tornaram conhecidas nos últimos tempos e essa fama trouxe consigo os "caçadores de likes" e com eles seus celulares, suas poses forçadas de meditação nos cânions, seus alto-falantes e seus lixos. Saímos de Capitólio com uma sensação estranha e percebemos que não tínhamos sentido essa estranheza nesses meios de mato que entramos. Não estamos dizendo que tais lugares devem ser para poucos, mas quando buscamos acampar ou passear na natureza esperamos sentimentos distintos dos que encontramos em Capitólio e buscamos encontrar pessoas que estejam verdadeiramente ali, pelo lugar, pelo banho de cachoeira, pela paisagem e por esses sentimos que, as vezes, desconfiamos que não existem nessa nossa sociedade conectada. Não era possível que toda a região tinha se transformado em ponto turístico desse tipo de turista e que esse tipo de turista tinha transformado o lugar. Enfim, sentimos que precisaríamos dar mais uma chance àquela região e planejamos um wild camping na Serra da Canastra.

Foram dois dias e uma noite nas estradas da zona rural de São J. B. do Glória/Delfinópolis. No primeiro dia conhecemos a Cachoeira da Maria Augusta.


Estrada de terra - razoavelmente transitável
Ao percorrer os 18 Km de estrada de terra, chegamos na entrada da Pousada e Camping Mata do Engenho. O preço para a visitação/taxa de preservação é de R$ 20,00. Esse preço dá direito a visitação em duas cachoeiras: Maria Augusta (Parte alta e baixa) e Tamanduá. 


Entrada da Pousada
A caminhada até a parte alta da cachoeira da Maria Augusta dura cerca de 35 minutos. O trajeto, em algumas partes, é escorregadio, mas há o auxílio de cordas nas partes mais complicadas. Um calçado que seja seguro e que possa molhar é aconselhável. A vista da parte alta é magnifica:


Cachoeira Maria Augusta - Parte Alta
Deixamos para nadar na parte baixa da Maria Augusta. A parte baixa da cachoeira é uma das mais lindas que conhecemos. Há um poço ótimo para banho e uma praia de cascalho branco. Era uma sexta-feira e estávamos apenas nós quatro na cachoeira.


Cachoeira Maria Augusta - Parte Baixa
Nadamos e ficamos um bom tempo curtindo o local. Fizemos um lanche e partimos para conhece a cachoeira do Tamanduá. Não conseguimos chegar na cachoeira pelas pedras na margens do córrego, talvez seria necessário ir pela água. Desistimos e paramos no meio do caminho para pescar lambaris para a fogueira que iríamos acender.

Levamos minhocas. Era colocar a vara na água e logo o peixe era fisgado. 

Parte do resultado da pescaria.
Nesse primeiro dia fizemos esse passeio. Gostaríamos de ter ficado mais tempo nesse lugar, mas já era tarde e tínhamos que encontrar um lugar legal para montarmos as barracas e passarmos a noite. Como a proposta era acampamento selvagem, precisaríamos encontrar um local perto de água.


Local do wild camping
Voltamos pela estrada de terra e seguimos no sentido do Recanto Ecológico Vale do Céu. Passamos o Recanto e seguimos pela estrada, encontramos um vale e um riacho. Atravessamos o rio e montamos acampamos ali.


Local do Acampamento
Após uma noite tranquila, mas com muito vento, acordamos e desmontamos o acampamento. Nesse dia nos planejamos para conhecer o Recanto Ecológico Vale do Céu. Voltamos pela estrada até o Recanto.


Entrada do Vale do Céu

O valor de entrada era R$ 40,00 (em feriado prolongado é R$ 80,00) e é possível almoçar no local. O lugar é lindo e super estruturado. Há esculturas, museus, capela e obras de arte antes do início das trilhas para as cachoeiras. 




Ao iniciar a trilha encontra-se diversas cachoeiras e poços: Poço Baruinho, Cascatinha, Poço Brasil, Cachoeira Véu da Noiva, Cachoeira Vale do Céu, Cachoeira do Funil.
Cascatinha

Baruinho

Cachoeira Vale do Céu

Cachoeira do Funil logo a frente, travessia a nado 

Cachoeira Véu da Noiva 
Todas as trilhas são estruturadas e apenas a Cachoeira do Funil é preciso ser acessada atravessando a nado.

Depois de conhecer esse paraíso voltamos para a estrada no sentido Vale da Babilônia. Nosso objetivo era chegar de tardezinha na Cachoeira Casca D'anta, mas tivemos dois imprevistos. Ao ultrapassar o Vale da Babilônia, faltando aproximadamente 20 Km para chegar à cachoeira, não conseguimos subir uma parte da estrada com o carro. Na verdade era impossível, mesmo o carro sendo 1.6. A estrada é íngreme e seu piso é composto de pedras lisas. Avaliamos como perigoso continuar e voltamos para a cidade de S. J. B. do Glória para prosseguirmos pelo asfalto. Chegando à cidade, como segundo imprevisto, soubemos de um falecimento de um parente e precisamos finalizar nossa trip

Continuaremos, em um futuro bem próximo, esse camping selvagem, pois há muito o que se conhecer na Serra da Canastra. Por fim, fizemos aquele compilado dos melhores momentos no vídeo abaixo:


Nenhum comentário:

Postar um comentário